Archive for março, 2011


A história da Geladeira

Reprodução do artigo encontrado no Eletrodoméstico Fórum

 

Apesar da existência há milenios de depósitos de gelo ( Casa de gelo, porões revestidos de madeira e palha, etc ) para servirem de fonte de gelo no verão, o primeiro refrigerador doméstico comum surgiu nos últimos anos do século XIX, na forma de caixas de gelo.

Quando o gelo derretia, ele era substituido por gelo comprado nos depósitos comerciais.

acob Perkins (09/07/1766 – 30/07/1849) foi um inventor e físico americano, que também trabalhou como aprendiz de ourives. Inventor de peças mecânicas que o tornaram famoso, em 1818 partiu para a Inglaterra com a idéia de fazer moldes em aço para imprimir papel moeda, o que provou ser um sucesso. Sua principal contribuição à física foram seus experimentos científicos que provaram a compressibilidade da água.

A importância dessa descoberta advém do fato de que a refrigeração atual funciona primariamente a partir do princípio da compressibilidade de um liquido.

Isto é, quando um líquido é rapidamente vaporizado (atraves de sua compressão), o vapor, que rapidamente se expande, necessita de energia (cinética, ou, para seu movimento). Ele retira essa energia do local mais próximo, que perde energia, e fica mais frio.

O primeiro refrigerador artificial conhecido foi demonstrado por Willian Cullen (15/04/1710 – 05/02/1790), um médico, químico e físico escocês, na universidade de Glasgow, em 1748. Apesar de seu único artigo publicado “Do frio produzido por fluidos que evaporam, e de alguns outros meios de produzir frio”, ele não aproveitou seus achados para nenhum uso prático.

Em 1805, Oliver Evans (13/09/1755 – 15/04/1819), um inventor americano, projetou a primeira máquina de refrigeração movida a vapor, mas nunca construiu uma. Seu projeto foi modificado e, também usando o princípio da compressão do vapor, construído por Jacob Perkins em 1834 ( Perkins obteve a primeira patente de uma máquina de refrigeração nesse ano ).

John Gorrie (19/03/1802 – 29/06/1855) médico americano, cientista, inventor e humanitário, passou sua vida tentando melhorar as condições de vida de seus pacientes. Em 1833, se mudou para a Flórida, uma cidade portuária na costa do Golfo do México, onde era médico residente em 02 hospitais. Estudava as doenças tropicais (especialmente a febre amarela) e sem conhecimento de microbiologia, advogava o aterramento de pântanos e uso de redes à noite. Pregava o esfriamento dos quartos hospitalares para reduzir a febre e deixar os pacientes mais confortáveis. Para isso, usava gelo em uma bacia suspensa no teto (aproveitando que o ar é gelado é mais pesado e descia aos pacientes até uma abertura próxima do chão). Como o gelo precisava ser trazido de barco dos lagos congelados do norte, e armazenados com serragem, Gorrie construiu em 1844 um refrigerador baseado nos projetos de Oliver Evans. Ele é considerado o pai do ar-condicionado. Em 1845, desistiu da prática médica para continuar seus projetos de refrigeração. Seu modelo original está até hoje no Instituto Smithsoniano.

O primeiro refrigerador doméstico aparentemente foi produzido em 1913 por Fred W. Wolf Junior em Chicago, chamado Domelre ( Domestic Eletric Refrigerator). Não foi um sucesso comercial, ao contrario da companhia Kelvinator, formada em maio de 1916. Os refrigeradores Kelvinator, como seus descendentes modernos, resfriavam usando uma bomba de calor de fase alternada.

Só em 1925 foram fabricados os primeiros refrigeradores que continham numa mesma unidade a caixa de resfriamento e o motor, compressor e condensador (trio que antes existia separado, ao lado ou embaixo da geladeira.

O primeiro refrigerador a ter sucesso mundial foi um modelo da General Eletric (Monitor-Top) de 1927.

Mais de um milhão de unidades foram produzidas, muitas ainda funcionando atualmente. Essa geladeira usava dióxido de enxofre como refrigerante.

Geladeiras no final dos anos 1800 até 1929 usavam gases tóxicos como refrigerantes. Exemplos eram a amônia (NH3), cloreto de metila (CH3CL), e dióxido de enxofre (SO2). Vários acidentes fatais ocorreram na década de 20 com o cloreto de metila que vazava das geladeiras. A indústria da refrigeração se uniu para produzir um gás mais seguro.

Em 1928 um engenheiro americano, Thomas Midgley (18/05/1889 – 02/11/1944) desenvolveu os clorofluorcarbono (CFCs) como substituto para os gáses tóxicos. Ele produziu, especificamente, o freon (CCL2F2), que, por sem atóxico e não inflamável, foi usado também como propelente em aerossóis, e agente expansor para plásticos expansíveis, como o isopor. A partir de 1931 a DuPont® passou a produzir quantidades comercialmente viáveis de Freon, e em poucos anos ele se tornou o gás refrigerante padrão para todas as geladeiras no mundo.

Tragicamente, apenas em 1973, os químicos americanos Frank Sherwood Rowland e Mario Molina, perceberam o efeito danoso dos CFCs à camada de ozônio do planeta. Baseado nesse fato, em 01/01/1989 foi efetivado o Protocolo de Montreal, que proibiu os grandes países de produzirem CFCs, e que o resto do planeta suspenderia a produção total de CFCs até 2010.

Outra versão:
As geladeiras são eletrodomésticos que mantêm a temperatura dos alimentos, através do frio gerado por um compressor e movido por um motor. A primeira geladeira teve sua invenção ocasionada pela cerveja. Em 1856, um fábrica australiana da bebida, contratou o também australiano James Herrison para elaborar um sistema que refrigerasse e mantivesse a temperatura do produto baixa, usando o princípio da compressão de vapor.

Em 1854, foi feito o primeiro sistema refrigerador para a indústria de carnes, em um frigorífico de Chicago, EUA, e em 1866, também nos Estados Unidos, foi feito outro aperfeiçoamento da invenção, permitindo a refrigeração de frutas e legumes.

Até então, todas as geladeiras criadas eram usadas para fins industriais. A primeira geladeira doméstica surgiu em 1913 e foi chamada de “Domelre” (Domestic Electric Refrigerator), nome que foi substituído posteriormente por Kelvinator, o nome que ficou para sempre usado como sinônimo dessa invenção nos EUA. O Kelvinator, assim como a maioria das geladeiras modernas, era arrefecido por uma bomba de calor de duas fases.

Outro modelo de geladeira que se tornou bastante popular nos EUA e vendeu mais de um milhão de aparelhos, foi o “Monitor-Top”, da General Eletric, que surgiu em 1927. Ao contrário dos outros refrigeradores, neste o compressor, que gerava muito calor, era colocado no alto do aparelho e protegido por uma espécie de anel decorativo.

 

 

Anúncios

Decoração: Acessórios para a casa

Acessórios quase sempre fazem a diferença. Quando bem escolhidos e bem utilizados, mudam todo o visual. E assim como nós, nossa casa também precisa de detalhes para ficar ainda mais bonita. Seja um porta-retratos, um quadro de avisos ou até mesmo um relógio, um acessório pode mudar completamente algo que até então era básico. Pensando na sua casa, o YouClube está oferecendo, por pouquíssimo tempo, produtos da GCK Design e tudo pela metade do preço. Quer deixar o ambiente mais agradável? Passa no YouClube. Com certeza você vai encontrar algum produto que deixe a sua casa ou o seu ambiente de trabalho com a sua cara. A GCK trabalha com acessórios em metal e é super preocupada com o meio-ambiente, por isso todas as peças são cortadas à laser, o que garante qualidade no acabamento e precisão, evitando desperdícios.

A importância da proteção UVA e UVB

Já saiu até em revista, todo mundo sempre escuta que óculos de sol tem que ter proteção.

Afinal: Que diferença faz usar lentes com a tal da proteção UVA e UVB?

Por mais irresistíveis que sejam os preços de alguns óculos escuros, faz sentido comprar apenas os que dão garantia de proteger os olhos contra os raios ultravioleta UVA e UVB – que têm diversos comprimentos de onda e afetam os olhos de forma diferente. Usar lentes sem essa proteção acaba sendo pior que não usar óculos. “No escuro, nossa pupila se dilata e os raios atingem os olhos com mais facilidade”, afirma o oftalmologista Newton Kara, professor da Universidade de São Paulo. O melhor é usar um par com proteção, especialmente entre 10 e 16 horas. Isso evita problemas como catarata e degeneração da retina.

PlayStation Portable novamente na mídia

PlayStation Portable

PSP por R$ 629,00 no YouClube

Sem alarde algum a Sony lançou o novo PSP. Disponível somente na cor Black Piano, o brinquedinho vem sem cartão de memória e sem jogos, só que agora já vem com certificado da Anatel e manual em português.

O PlayStation Portable foi a aposta da Sony para tirar o Nintendo DS da jogada em 2004. Mania no Japão, o PSP tem um poder técnico semelhante ao do PlayStation 2.

Recentemente o game portátil, ficou em evidência após a Sony anunciar um corte nos preços.

No YouClube você encontra o modelo 3010 com até 37% de desconto.